A ameaça do complexo Tapajós

No 04/01/2014 por Minguarana emTapajos | 2 comentários

Durante os meses de setembro a novembro de 2013, biólogos subcontratados estiveram em Mangabal desenvolvendo a primeira fase dos estudos de impacto ambiental para a barragem de Jatobá, uma das três grandes barragens que o governo tem planejadas para o rio Tapajós. Os pesquisadores trabalhavam para a Concremat, uma empresa privada subcontratada pelo Grupo de Estudos Tapajós, uma unidade criada pelas companhias organizadas no consórcio por trás desse projeto hidrelétrico. Alguns meses antes, um grupo indígena, parte dos mais de 13 mil índios do povo Munduruku, havia expulsado os biólogos da aldeia Amanhanã,no município de Jacareacanga, onde os cientistas estavam desenvolvendo pesquisa. O governo, então, passou a fornecer proteção militar para todos os pesquisadores.

O que poderia estar, de fato, por trás da mobilização das forças militares em terras tão pacíficas? O discurso oficial usa o tempo, repetidamente, as palavras “desenvolvimento” e “energia”.
Experiências anteriores de construções de hidrelétricas tão complexas, no rio Madeira (duas grandes barragens, que já provocaram [suprimir problemas na] enchentes neste primeiro ano de operação) e no rio Xingu (onde está sendo construída a terceira maior barragem do mundo, Belo Monte), ilustram a grande distância entre as promessas de desenvolvimento e a realidade nessas regiões. Essa retórica de infinita bondade contrasta severamente com as metralhadoras e lanchas rápidas, e com as invasões noturnas a algumas das aldeias indígenas.

 

2 comentários

  1. Roberto Lima Publicado el - Reply

    “vi os teus homens, tão bons, amantes da vida, escravos de homens maus que, tão desigual, repartiram tesouros, levando teu ouro e deixando mercúrio pra nós”

    Valmir Pacheco

Deixe um comentário

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

Puedes usar las siguientes etiquetas y atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>